Super Bowl XLVIII bate recorde histórico de audiência na ESPN

ESPN BrasilFootball

Super Bowl XLVIII bate recorde histórico de audiência na ESPN

São Paulo, fevereiro de 2014 – A ESPN obteve uma marca histórica no domingo (2), com a transmissão do Super Bowl, um dos principais eventos esportivos do mundo. Assim como o ‘passeio’ que o Seattle Seahawks aplicou no Denver Broncos, por 43 a 8, os dados de audiência da ESPN são um verdadeiro touchdown na concorrência.

Entre o público masculino de 18 a 24 anos, a ESPN foi líder de audiência no horário do jogo com 1,13 ponto percentual. Se ampliada a faixa etária – 18 a 49 anos – o canal também foi líder, com 0,67 ponto – 20% mais pessoas assistindo ao canal em relação ao ano anterior. O resultado é maior que a soma dos resultados da transmissão da ESPN e ESPN+ durante a edição de 2013, quando, juntos, os canais tiveram 0,66 ponto de audiência. Se analisados todos os públicos da TV por assinatura, a ESPN ficou entre os cinco canais mais assistidos da TV paga.

Outro dado que registrou crescimento foi o ATS (Average Time Spent – tempo de permanência no canal), que registrou uma média de 76 minutos, contra 49 minutos em 2013 – um aumento de 55%.

“Os ótimos resultados da temporada regular, com audiência superior à temporada passada inteira, já nos indicavam que teríamos um Super Bowl XLVIII histórico. Essa também era a expectativa de nossos anunciantes, que compraram todas as cotas publicitárias”, afirma Marcelo Pacheco, vice-presidente de marketing e vendas.

Para a transmissão brasileira da grande final da NFL, Applebee’s, Conti Bier, Unilever/Axe, P&G/Head&Shoulders, Mitsubishi, Johnny Walker e Sony adquiriram cotas com a ESPN. A média de pessoas assistindo aos jogos da temporada 2013/2014 da NFL foi de 123 mil pessoas por jogo, contra 53 mil na anterior. Um dado que também registrou crescimento na temporada atual é o de permanência no canal durante os jogos da NFL. Enquanto o tempo médio na temporada de 2012/2013 era de 47 minutos, a temporada 2013/2014 registrou oito minutos a mais, com 55 minutos.

A transmissão da grande final teve a presença in loco do narrador Everaldo Marques, do repórter André Kfouri e dos comentaristas Paulo Antunes e Johnny Mitchell – ex-jogador do New York Jets e Dallas Cowboys na década de 90, hoje técnico de um time em Curitiba, o Crocodiles Football. A equipe brasileira da ESPN fez uma cobertura especial diretamente de Nova York, mostrando os bastidores das equipes, a preparação do Super Bowl e aspectos culturais da cidade durante dez dias antes do evento.

No domingo, o “Abre Jogo” de 1h30min de duração esquentou os fãs do esporte com todo o raio-x do confronto entre o Denver e Seattle. Uma webcam posicionada na cabine de transmissão mostrou as reações do narrador e comentaristas ao longo de toda a transmissão. A novidade se refletiu na audiência, 92% superior ao ano passado.

Sobre a ESPN
A ESPN chegou ao país em 1989 e foi o primeiro canal de esportes da TV paga brasileira. Em 1995 a empresa criou o canal ESPN Brasil. Em abril de 2009, lançou o ESPN HD, em alta definição, que a partir de julho de 2012 passou a se chamar ESPN+, com uma programação diferenciada. As atividades da ESPN Internacional incluem televisão, rádio, impresso, internet, banda larga, internet sem fio, produtos de consumo, e gestão de eventos.

A empresa mantêm escritórios e/ou instalações de produção em locais-chave de todo o mundo incluindo Bangalore, Bristol (EUA), Buenos Aires, Cidade do México, Hong Kong, Londres, Miami, Melbourne, Mumbai, New York, Rio de Janeiro, São Paulo, Sidney e Toronto. Desde 1983, ESPN (originalmente fundada em Bristol, Connecticut, em 1979) tem crescido ao redor do mundo, se estabelecendo como a marca líder mundial em esportes. A filosofia da empresa de crescimento global é a de sempre servir aos fãs do esporte e ser relevante localmente, com conteúdos e produtos que preencham sua grande paixão e dedicação.

Botão Voltar ao topo